Queijos Capril do Bosque

SOBRE NÓS

Nossa história

Nasce na primavera de 2017 a Associação Paulista do Queijo Artesanal! Vem à luz com a incumbência de ser um agente organizador das necessidades do pequeno produtor artesanal de modo que todos estes possam mostrar sua identidade, trabalhando com segurança e responsabilidade, para ocupar seu lugar como atores visíveis no rico cenário do queijo artesanal brasileiro.

Nossa Proposta

Visão

A APQA enxerga no Estado de São Paulo um grande propulsor econômico e na transformação do leite uma ferramenta de desenvolvimento sustentável para milhares de produtores rurais. Muitos desses produtores de leite e queijos estão abandonando seu meio de vida mas ainda podem, se orientados, apoiados e bem (in)formados, formar epicentros de estímulo à geração de empregos e à preservação cultural, social e ambiental.

É preciso saber utilizar as novas chaves do reconhecimento da cultura alimentar legítima a partir de conceitos atualizados de saúde integrada em detrimento da alimentação industrial, via aproximação do cliente com os métodos de produção através de relacionamentos diretos ou com poucos intermediários, levando a ‘história’ do produtor e dos seus produtos até a mesa do consumidor.

Nossa função

A APQA vai fazer a conexão com os setores de regulamentação do Governo do Estado de São Paulo e do Brasil, contribuindo com sugestões de ferramentas para orientar, pesquisar, simplificar, estimular, registrar e permitir a produção diversa de queijos regionais, seguros e cheios de personalidade.

Vai proporcionar inter-relações que viabilizem trocas de técnicas e saberes entre produtores de queijos que não só emanam talento e criatividade, mas que levam como ingredientes os conhecimentos sobre tecnologias tradicionais ou inovadoras e assim acabam por resultar em verdadeiros tesouros da cultura alimentar.

É também objetivo da APQA promover parcerias com instituições de pesquisa e análise de qualidade do leite e do produto final, viabilizando o baixo custo para a propriedade rural e proporcionando melhor interação entre produtores e técnicos. E ao lançar ferramentas que possibilitem a rastreabilidade dos queijos, vai gerar ainda uma cadeia de confiança entre todos os setores envolvidos na produção e comercialização do queijo artesanal paulista.

Trabalhar para quem?

A APQA inicia um trabalho sem precedentes para revisar o conceito estabelecido e um tanto desvirtuado de laticínio artesanal no Estado de São Paulo.

O caráter de resistência, aprimoramento e inovação como aspecto característico do produtor paulista deram força para algumas queijarias artesanais enfrentarem o oneroso e desgastante processo de regulamentação, as quais em sua maioria começaram ‘apenas de um começo’, passaram por histórias de erros e acertos que cativaram e fidelizaram público e hoje começam a ter reconhecimento de mídia e dos poderes públicos devido ao movimento de luta na cadeia do queijo artesanal em todo o Brasil. Ainda assim estas queijarias já formalizadas travam luta incansável e diária contra uma legislação burocrática e inadequada à vida e ao sucesso financeiro desse ramo. Uma legislação que ainda associa a maturação à segurança do leite cru por mais excelente que este seja, padroniza receitas, superficializa a complexidade das técnicas de maturação, aniquila a profundidade das experiências.

Assim, a luta da APQA é para que todos os queijos gostosos e seguros, simples ou sofisticados - cuja qualidade pode ser alicerçada pelo resultado de exames de controle sanitário e microbiológico e não pelo formato de suas instalações - sejam referência para maus produtores melhorarem os seus procedimentos, e não o contrário.

Como?

O trabalho de uma entidade que represente os produtores junto aos órgãos legisladores e fiscalizadores poderá aproximar as respectivas atividades, tornando as exigências coerentes e a fiscalização mais integrativa e condizente com a realidade dos processos.

Para isto é necessário levar em conta os verdadeiros riscos técnicos à saúde pública, é necessário cuidar muito bem da excelência do leite a ser transformado, assim como dos processos de fabricação, maturação, transporte e comercialização. Depois de preenchidas estas condições, dar o devido reconhecimento à sabedoria empírica do artesão de queijos. Soluções técnicas industriais trazidas pelos grandes laticínios não podem servir de referência para padronizar e controlar os queijos artesanais.

Aqui estamos entre estes vales e montanhas, perto do mar ou do curso dos rios. Nestes campos desenhados por mãos nativas ou imigrantes, mãos jovens e velhas, mãos pequenas ou grandes... cultivamos e criamos também valores e ideias. Persistentes... e brilhantes. Há terroir, matéria-prima, disposição de investimento justo, disposição para o aperfeiçoamento, há saberes do tempo e da experiência, há técnicas a serem transmitidas, e sobretudo, há compradores para o queijo paulista. Desde sempre, e como sempre será.

A Associação Paulista do Queijo Artesanal nasce com a missão de ajudar a conquistar a autonomia do produtor para o livre exercício e comércio de seu ofício.

Viva a potência do Queijo Artesanal Paulista!

Viva o Queijo Brasileiro!